“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



terça-feira, 29 de setembro de 2009

Silêncio

“Até o tolo parece sábio quando está em silêncio.”  
                                                                                     Provérbios

Foto Mariah











Ao fim do dia, com a garganta seca,
Um peso no peito me cerca,
Muitas palavras escaparam da minha boca,
Tortas, desafinadas e ocas.

Uma sensação de ter falado em demasia
E ter deixado escapar uma palavra rude,
Quem muito fala, muito fantasia
E é sufocado pelas suas atitudes.

O silêncio é dom de Deus,
Ele apascenta, acalma os seus
e a sensação no final do dia
é de uma alma cristalina.

Quero, na despedida do dia,
Sentir apenas a alegria
De ter calado na hora certa
E de ficar sempre alerta.


Chris Amag
15-09-09
20h50



2 comentários:

Anônimo disse...

Olá Cristina...
Adorei este poema...falou muito ao meu coração...
Realmente é uma verdade...precisamos calar no momento certo...sempre pedir discernimento a Deus.
Não pude ver todos os poemas...mas pude ver que são muito bonitos.
Que Deus abençoe sua vida a cada dia!!!
Posso dar uma dica????
Tente mudar um pouco as cores das letras...tem agumas que não dá para enxergar bem, talvez deixar um pouco mais claras nos temas dos poemas...
Bjo grande e fica com Deus.
Jerusa

Anônimo disse...

Oieeh professora
amei os seus
poemas esses
poemas mecheram
muito comigo
com o meu coraçao
beijoss
larissa ...