“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



domingo, 20 de setembro de 2009

Poema sobre a história de um amor


Vaso sem flores


No nascer do dia, roubou uma rosa
do jardim sem muro e sem portão,
entrou em casa todo prosa
e entregou-me com ela seu coração.

Contou com orgulho o seu feito,
Mas eu bem sei que reprovei,
Não considerava aquilo direito
mesmo assim, no meu peito plantei.


Foi a única rosa que me deu desde então,
Enquanto esperava flores e ramalhetes...
Mas a espera foi longa, uma espera em vão,
Até mesmo acabaram os curtos bilhetes.

Uma rosa branca... Quem sabe se vermelha
Mudaria esse vaso que não existiu,
Não ficaria tanto tempo à espera
Esperando alguém que, sem chegar, partiu.

Chris Amag
27-02.09
22:00


Imagem de manicaseiavelha.blogspot...


Um comentário:

Anônimo disse...

Ai professora só a senhora mesmo né ,eu já tinha entrado no seu blog achei um máximo li alguns poemas,inclusive o que a senhora fez pro jefferson !! e um dia que a senhora lança um livro pode ter certeza que eu irei comprar.
beijos!!