“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



quinta-feira, 15 de outubro de 2009

O prazer de ser professor


foto Mariah













Como explicar o prazer que sentimos
quando ouvimos na rua: "professora!" ?
É uma palavra mágica que encanta
e ninguém pode tirar isso de nós...

Então, olhamos alguém que não reconhecemos,
tão alto, tão diferente daquele pingo de gente,
que nos abraça e quer contar tudo o que se passa,
pois fazemos parte da sua história.

Neste momento, os anos voltam, ficamos jovens,
o sorriso é largo, o brilho cobre nosso rosto
e agradecemos a Deus por poder começar tudo de novo:
plantar uma semente e vê-la ficar alta e forte.

Hoje é o nosso dia, mas para eles será sempre...


Chris Amag
15-10-09

2 comentários:

Aguida disse...

Poxa como esse poema tem tudo a ver comigo a tempo me lembrava das estorias quem contava na escola ...pedro mazza na 6º serie...eu sempre na minha mas adorava suas estorias e agora vendo estes poemas alegria de relembrar tudo denovo Obrigada por ter feito parte da minha estoria Professora Maria Cristina Gama

Danniel Valente-Poesia disse...

Muito gostoso ver o seu amor solto, ao encontro dos alunos, essa doação, o prazer de servir...eu diria...o prazer de ver o outro feliz.

SONETO

Meu soneto
não tem rima.

Nem estrofe...
não tem métrica.

Meu soneto
se deixa esquecido
na tarde.

Todos os dias, o meu soneto...
depois do almoço.

Porque poeta
não tira soninho,
tira um soneto.

DANNIEL VALENTE