“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Escuridão

Foto: Mariah













Ontem, quando tudo ficou no escuro,
Pude ver a beleza das crianças eufóricas,
As pessoas penduradas nas janelas,
A chama das velas acendendo a vida...

Ontem, quando tudo ficou no escuro,
Os carros passavam vagarosamente,
Iluminando as compridas ruas nuas,
Descobrindo pessoas escondidas...

Ontem, quando tudo ficou no escuro,
Pude ouvir as palavras que pulavam soltas,
rebatiam nas paredes e pulavam os muros,
fugitivas, alcançavam outras esquinas,

Ainda não sabemos quem fez isso,
O vento, o mau tempo, o homem...
A escuridão colocou vidas em perigo,
mas mostrou gestos de solidariedade.

Chris Amag
11-11-09

6 comentários:

Mariah disse...

Apagão...

Em um momento senti saudades do tempo que morei em um sítio, que com a plena escuridão dávamos para ver com nitidez a lua e as estrelas.

Os vagalumes que teimavam em passear sobre nossas cabeças, dando nos alguns sustos. Pareciam várias fadinhas com lanternas nas mãos.

Também refleti como ficamos tão dependentes de luz elétrica, sem ela parecemos desamparados e abandonados. Antigamente não tínhamos medos de nada...

Tirando o ponto ruim de ter tido este apagão, podemos considerar que em alguns momentos foram alegres e positivos.

Você imaginou quanta fofoca, histórias foram colocadas em dia... rsrsrsr

Imagina também, aquelas pessoas que estavam com as amizades estremecidas e por este momento tiveram que se juntar para não correrem algum risco. E esta amizade voltou mais forte?

E as crianças brincando a luz de vela com seus pais, fazendo vários bichinhos na parede. E neste momento os pais puderam compartilhar e dar algumas horas de alegrias para seus filhos?

Vi em minha rua, os pais com crianças pequenas irem para varanda ligar as luzes dos veículos e brincarem de bolas com elas, apra distrair sua atenção da escuridão. Imagina este momento na cabeça de uma criança foi uma farra só...

Bom, tem as crianças que ficaram sem banho e se sentiram muitos felizes por poder pelo menos por um dia ficar sem tomar banho, sonho de qualquer criança...

Tem também os poetas, que ao ver a escuridão se mergulharam não só na escuridão de seus seus pensamentos misteriosos... e sim na escuridão do pensamento global...

adorei o poema... sua Dú

Chris Amag disse...

Nossa!

Que comentário lindo!

Uma prosa poética que revela agora uma poetisa escondida atrás do silêncio e
das palavras comedidas...

Sua sensibilidade em fotografar já nos
dava uma pista desse seu outro dom.

Tenha certeza, que o meu blog, com esse
seu comentário, ganhou um toque de família,
de "outros olhares", um pouco da Maria que
compartilha conosco.

Beijos
e obrigada pelo carinho!

Chris

Chá das Cinco disse...

Gostei do teu estilo, e as imagens falam por si.
Parabéns para Mariah, ela tem o nome da minha mãe, é um nome muito lindo.
Gostei e fiquei.
Bjs

jose disse...

Olá Chis,
Estou voltando e estou mais ou menos bem
pelo menos sei que não tenho nada de grave,
o que me anima bastanto.

Palavras que gritam
mas ninguém as ouve
elas apenas emitam
um som suave.

A minha amiga Chris
essas palavras escreveu
e eu fiqui muito feliz
quando ela me as deu

Ela diz que eu sei tudo
só sei dar o valor
que as coisas neste mundo
poderiam ser bem melhor

Nos lugares onde passei
nesta minha caminhada
"sei apenas que nada sei"
pois sei que não sei nada

Escrevo do que já passou
o que vejo na televisão
poeta não sei se sou
mas escrevo com o coração

No seu blog há poesia
dessa que eu gosto de ler
que me oferece com simpatia
cada vez que eu lá vou ver


Obrigada pelos seus comentários
pelo seu carinho por tudo.

um beijinho, José

Chris Amag disse...

"E agora, José?

A luz apagou", mas a sua poesia
iluminou tudo aqui no meu blog!

Eu estava um pouquinho triste hoje,
mas quando seus versos chegaram aqui
refletidos nos meus olhos,
mandaram embora a escuridão,
carimbando neles uma lua crescente
em forma de sorriso...

Um forte abraço!
Chris

Danniel Valente-Poesia disse...

Olha eu aqui...me deliciando com seus poemas: "Ontem, quando tudo ficou no escuro,
Pude ouvir as palavras que pulavam soltas,
rebatiam nas paredes e pulavam os muros,
fugitivas, alcançavam outras esquinas"...adorável!