“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Medo


imagem: http://moniquecristinadesouza.blogspot.com/
Meus pensamentos vêm e vão
Em vão...
Não há descanso aqui dentro
Silencio
Calo as palavras tagarelas
Teimosas
Minhas lágrimas querem sair
Engulo-as todas
Amargas
Procuro uma palavra para mim
Não encontro
Nem mesmo um ombro amigo
Para me encostar
Meu peito dói, a respiração pesa
Meu Deus, preciso de socorro
Sou fraca
Não está em minhas mãos...
Estão atadas
Penso tanto, tanto que me canso
Morro por dentro
A vida continua, não escuta
Meu lamento
Sei que tudo passa nesta vida
Vai passar
Mas então não serei a mesma
Tudo passa
Minha juventude, meus desejos
E agora o que eu sinto é medo
De te ver partir
Meus pensamentos vêm e vão
Em vão...


Chris Amag


Inspiração do poema
Meu pai está muito doente... E é muito difícil ver tudo isso, sem uma solução rápida... Coloque-o nas suas orações, amigos...

5 comentários:

Célia Gil, narciso silvestre disse...

Compreendo esse seu medo tão bem expresso nesse maravilhoso poema e rogo para que tudo corra bem! Bjs

Malu disse...

Chris, nossos pensamentos tomam proporções tão assustadoras às vezes que o melhor a fazer é desenhar a serenidade para afugentá-los...
Abraços

Dilmar Gomes disse...

Amiga Chris, bonito poema. Gostei.
Um grande abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

Cida Kuntze disse...

Oi Chris... sei bem como é esse medo. Só o Senhor pra dar alento. Orar é necessário sim. Melhroas pro teu pai.
Beijos.

Maria disse...

Querida amiga um poema lindo e comovente. É muito dificil ver quem amamos sofrer, irei rezar também pelo seu pai, que Deus os acompanhe e ajude.
Bomfim de semana
Beijinhos
Maria