“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



sexta-feira, 11 de maio de 2012

Quando os versos nos deixam em descompasso

(do filme "A casa do Lago" - http://www.cineplayers.com/

Quando lemos um poema, imaginamos quem o escreve,
A tal ponto que chegamos a sentir o que o poeta sente,
A tal ponto que o coração chega a disparar de repente,
Não sabemos explicar por que tudo isso acontece...

Talvez por que já exista hoje uma ligação muito forte,
A tal ponto de ficarmos sem chão, perdendo até o norte,
A tal ponto que chegamos a parar de ler, e desligamos,
Não sabemos explicar por que tudo isso acontece...

Mas, não há como evitar, o poema está lá me chamando
Para ler outra vez mais, e, novamente, fico imaginando
Como é essa pessoa que se esconde atrás desse poema.

Então me vejo lá, do lado do poeta, sentindo o seu calor,]
O calor dos seus versos discretos que parecem me cortejar,]
Que escondem em cada pontuação o que há no coração.

Chris Amag

Poema Falado

7 comentários:

Tunin disse...

O poeta escreve o que lhe vai n'alma e cabe ao leitor dar a sua versão.
Excelente poema!
Abração.

Giancarlo disse...

Buona serata e felice fine settimana....ciao

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Hummmm... gostei tanto de ler isso. Beijos, Cris. Sem palavras;

Maria Cristina Gama disse...

Querido Tunin

Sim, não há como esconder o que o poeta sente...

Obrigada por estar sempre presente...

Bjs
Chris

Maria Cristina Gama disse...

Querido Giancarlo

Obrigada pelo carinho...

Bjs
Chris

Maria Cristina Gama disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria Cristina Gama disse...

Menino beija-flor...

Se o poema lhe deixou sem palavras é porque ele entrou no seu coração...

Um raro momento quando quem inspira o poeta o sente em palavras...

Bjs
Chris