“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



domingo, 10 de junho de 2012

Tempo psicológico

artepoeticaencontros.blogspot.com


O tempo de um beijo quase não existe,
As bocas se separam e ficam tristes
E o próximo encontro ainda está distante,
Mesmo que seja daqui a um instante.

Ah... Como o relógio anda ligeiro
Quando estou namorando você,
Queria que ele quebrasse o ponteiro,
Para conversarmos o dia inteiro.

Assim é o tempo para mim:
A saudade brinca com as horas,
Deixa tudo com muita demora,
Parece que esperar não tem fim.

E assim o tempo ri da gente,
O que é bom passa rápido,
O que não é, uma eternidade...
É o nosso tempo psicológico!

Chris Amag

6 comentários:

Luís Coelho disse...

Um poema muito bonito que já todos experimentámos e lentamente saboreámos.
Cada coisa no seu tempo e o tempo certo para cada coisa.
Por vezes demora-se tempo demais e aquilo que era gostoso perdeu bastante o sabor.
Como a comida parece que uma boa alimentação deve ser aquela em que as pessoas se levantam da mesa ainda com fome.

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Como eu disse no face: Poiis é assim mesmo. Eu fiz um pacto com o tempo. Quando eu estiver amando, brincando, me divertindo, que ele seja bem lento. E quando estiver sozinho, que ele seja veloz como o vento. Amei seu texto, o que não é surpresa. beijos.

Maria Rodrigues disse...

Minha amiga grandes verdades no seu lindissimo poema. A nossa noção do tempo depende realmente de estarmos a atravessar bons ou maus momentos na vida.
Bom restinho de domingo e uma excelente semana.
Beijinhos
Maria

Blog Teia disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Blog Teia disse...

Olá
Adorei seu blog,tem muito assunto interessante.
Certamente uma ótima fonte de leitura.
Parabéns.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, gostei muito do seu belo poema...Espectacular....

Cumprimentos