“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



domingo, 17 de fevereiro de 2013

Distância

Imagem da internet

Fragmento de um poema que fiz entre 1984 e 1985, para o meu primeiro amor:

"Gostaria que o mundo fosse pequeno
Para poder morar perto dos seus olhos,
Pisar na sua calçada, olhar a sua lua
E roubar a sua estrela..."
(Maria Cristina Gama - 1985)

.

3 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

A isto se chama amor.
Amor carregado de vida nos sonhos e nos desejos.
Amor que quer viver dentro dos desejos e da vida do outro completando-o .

Dilmar Gomes disse...

Lindo, amiga Cris. O primeiro amor, o primeiro poema, a gente nunca esquece.
Um abraço. Tenhas uma linda semana.

Arnoldo Pimentel disse...

Ficou simplesmente lindo o poema, parabéns.