“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



domingo, 21 de abril de 2013

Muito prazer!



Imagino que um dia a gente vai se conhecer,
Conhecer assim de se olhar, de dar as mãos,
E eu vou dizer a você: “Muito prazer”...
Não sei o que vai acontecer a partir de então.
Você me faz companhia quase todos os dias,
Toda vez que aparece me dá muita alegria...
É sempre o alto que fecha a minha noite, sabia?

Maria Cristina Gama
.

5 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Gostaria que tudo isso fosse verdade e não apenas poema.
Gostaria que as pessoas se amassem e apertassem as mãos com amor e verdade.

Vamos acreditar que isso vai ser verdade...

Mgtcs disse...

Singelo seu poema! Adorei!

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Há sempre
uma esperança
a nos habitar.
Esta esperança
evita que nos
percamos de nós.

Que sempre haja em ti,
tempo para cultivar a alegria.

Ygo Maia disse...

De mãos dadas somos mais!!!

Adorei o poema!

Beijos!

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Sinto-a leve nesse poema, sonhadora como sempre, mas leve. parabéns, amiga. beijos.