“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



sábado, 11 de maio de 2013

Lembranças


O frio sempre traz com ele lembranças,
Lembro de amora no pé,  de lagarta colorida,
De amarelinha no chão, cheia de crianças,
E de como era inocente a nossa doce vida...
                                                         
O frio traz com ele a saudade escondida,
De quando brincávamos de esconde-esconde,
Da primeira vez em que senti friozinho na barriga,
Só de olhar dentro de outros olhos de longe...

O frio congela o pé, arrepia o corpo inteiro,
Mas aquece o nosso coração com o que passou,
Pois recordar é viver o que um dia foi verdadeiro.

Assim é como eu me sinto hoje: nostálgica,
Sinto saudade do que se foi e do que pode ser um dia...
Sei que novas recordações virão ao amanhecer.

Maria Cristina Gama

2 comentários:

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Amiga, Cristina. A nostalgia faz parte da gente, principalmente de quem é sensível, e o frio dá mesmo essa sensação ou aumenta a sensação. Também tenho saudades de algumas coisas... às vezes, saudades até de mim mesmo, me procuro e não me encontro. Parabéns. Beijos

Cida Kuntze disse...

Que lindo Chris!!!
Cada palavra desse poema falou ao meu coração.
Me trouxe a memória muitas coisas, saudades... lembranças...

Querida, que Deus te abençoe sempre e que vc tenha um Feliz Dia das Mães.

Beijos carinhosos.