“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



segunda-feira, 6 de maio de 2013

PARA VOCÊ (parte II)

Imagem da internet

Faz tempo, eu já observava você,
E quando o vi ontem, assim tão belo,
Vestindo, com charme, amarelo...
Ah, foi como o sol que na noite se vê.

E a chuva escondeu o nosso caminho,
Para nos deixar um pouco sozinhos,
Então, de repente, nos vimos perdidos,
Só para tomar um delicioso caldinho...

A chuva passou e caminhamos juntos,
Ficamos tão perto para um abraço...
E agora, eu me pergunto: “O que faço”?

Para você eu deixo todo o meu carinho,
As minhas mãos no seu cabelo prateado,
E na despedida, um beijo no meu namorado.

Maria Cristina Gama
.

4 comentários:

Arnoldo Pimentel disse...

Um doce e belo poema.Parabéns.

Rui - Olhar d'Ouro disse...

Muito bonito!

Ygo Maia disse...

Poema singelo, cheio de amor.
Viva o amor!!! O mundo precisa dessa poesia.

http://ymaia.blogspot.com.br/

(CARLOS - MENINO BEIJA - FLOR) disse...

Que romantismo deliciosamente juvenil. Muito bonito, Cristina. beijos