“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



terça-feira, 11 de junho de 2013

Enquanto você não vem


Enquanto você não vem,
Leio tudo o que vejo...
Que mal isso tem?
Leio textos que são tristes,
Nem sei por que leio,
Mas estão ali, existem...

Enquanto você não vem,
Também leio texto mudo,
Uma linguagem não-verbal,
E confesso que me faz mal.
Por que colocam isso ali?
Queremos na verdade “rir”...

Enquanto você não vem,
Procuro um texto alegre,
Que me arranque gargalhadas
Tudo o que quero é dar risada,
Para descontrair o dia longo,
Que deixou pesado o ombro...

Então, quando você chega,
É o alto que levanta o meu rosto,
É o sinal verde que me cega,
É o “oi” que me alegra...
Então, paro de ler tudo,
Não vejo mais nada, só “você”.


Maria Cristina Gama

4 comentários:

Trocyn Bão disse...

Olá amiga
Adoro poesias, poemas e seu blog me fascinou pelas linhas tão bem escritas e sentidas por mim, sim verdade, a cada linha que lia desse poema me fazia " viajar " de tanto que me tocou, parabéns
Então estou eu aqui seguindo seu blog e oferecendo o meu junto com o meu mosaico de parceiros para que possa visitá-lo e se gostar possa segui-los também

Abraços,
Trocyn Bão - Thiago

ALUISIO CAVALCANTE JR disse...

Querida amiga

Sempre que dirigimos
os nossos pensamentos,
ao que acorda sentimentos bons
em outras vidas,
cada palavra escrita
é uma espécie de oração.

Que teu coração seja o céu
onde as palavras possa voar
buscando a esperança.

Cida Kuntze disse...

Simplesmente lindo Chris!
Até me imaginei lendo tudo isso...rsrsrs.
Super beijo querida.

ॐ Shirley ॐ disse...

É bom esperar, quando se tem a certeza de que ele vai chegar. Bonito, Chris. Beijos!