“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



sábado, 16 de agosto de 2014

Saudade


Vejo você em tudo... Quando me lembro que tenho sede e sinto o sabor da água, que tem gosto de saudade, na lua brilhante e cheia que vem me buscar aqui dentro para mostrar a sua beleza, nos sons misteriosos das paredes de concreto, nos carros que passam, em cada perfume que sinto e que me remete a algo que já foi um dia... Quando de repente a TV muda de canal porque já está programada para filmes que eu gosto e ficaria chateada de perder... Você se faz presente nos bilhetes espalhados pela casa, nas frutas coloridas e em tudo que é saudável e faz bem para o corpo e a mente... Está presente nas árvores com seus longos galhos que nos fazem olhar o céu, nos pássaros que voam em grupos, ou naqueles solitários que ficam na minha janela, nas pequenas formigas que parecem desorientadas, dando a impressão que lhe procuram pela casa... Mas sabe do que mais sinto falta? De quando você era pequeno e olhava curioso para tudo e me enchia de perguntas... de quando gostava de comer “Mc lanche feliz” e era uma desculpa para eu comer também... De quando saíamos de mãos dadas por aí, e eu quebrando a cabeça para sempre pensar em um lugar divertido para irmos todos juntos... Os filhos crescem, tudo muda, o ângulo, a altura, as perguntas, que passam a ser retóricas e, às vezes, somos nós que precisamos das respostas... Bom, vejo você em tudo, mas não gosto de ver você na sua ausência... Mesmo que seja por um dia... Saudade...
(Texto de Maria Cristina Gama)

Um comentário:

Maria Rodrigues disse...

Minha amiga a saudade dilacera-nos o coração.
Espero que esteja tudo bem com o seu filho e seja apenas saudade por ele poder estar longe.
Beijinhos
Maria