“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



quarta-feira, 12 de novembro de 2014

A sabedoria do silêncio


Atitudes e discursos devem caminhar juntos. Quando pré-julgamentos sem fundamento destroem o respeito construído por anos, devemos refletir se a imagem era falsa, se os valores eram outros e se vale a pena continuar insistindo em uma aproximação forçada pela boa educação. Quando se perde a admiração, está na hora de escolher outros caminhos, buscar novas alianças. Não devemos ter medo de parecer insensíveis, muitas vezes o silêncio não significa ignorar, é sabedoria. (Maria Cristina Gama)

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Muito bom o seu blog, estive a percorre-lo li alguma coisa, porque espero voltar mais algumas vezes,deu para perceber a sua dedicação em partilhar o seu saber.
Se me der a honra de visitar e ler algumas coisas no Peregrino e servo ficarei radiante.
E se gostar e desejar comente.
Que Deus vos abençõe e guarde.
Abraço.Peregrino E Servo.