“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Mistério


Penso que há algo de mistério que nos une e nos separa...
Ausência e saudade... Limites e coração aberto...
Destino ou livre arbítrio, música e silêncio...
E assim o tempo passa, e tudo fica no esquecimento
E tudo passa a ser lembrança de algo que nunca existiu...

(Maria Cristina Gama)

Nenhum comentário: