“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Paradoxo da Felicidade


É tanta gente desejando que eu seja feliz,
Que receio morrer de tanta felicidade
E se isso acontecer, de que adianta ser feliz?
Que paradoxo! 
                                                      Maria Cristina Gama

Um comentário:

Dilmar Gomes disse...

Pois é cara Cristina... mas a morte é inevitável, digo a passagem é inevitável.
Um abraço. Faz tempo que não sabia notícias vossas.
Tenhas um lindo dia.