“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Quando você menos esperar... (Parte II)




QUANDO VOCÊ MENOS ESPERAR...
Por Maria Cristina Gama

E quando você desiste de procurar, parece que tudo acontece, foi assim quando desisti de engravidar, depois de tentar quase um ano e, só foi desistir, aconteceu! O milagre da vida... Sim, a vida é feita de pequenos encantos, alguns ainda não têm identidade, nem cheiro, nem o calor da proximidade, mas encantam e tornam os nossos dias mais bonitos, cheios de poesia... Surpresas que chegam sem hora marcada, sem avisar... Não me venha falar que é destino, que são coincidências... A nossa história está escrita, mas o livro tem de ser aberto, lido e apreciado.

E por falar em livro, quero confessar um péssimo hábito que eu tenho: só compro um livro depois de ler o final da história primeiro, se valer a pena, aí sim, eu leio! Mas, tentar fazer isso com a própria vida, é pular pedaços importantes que construíram quem somos. Não posso querer saber do fim sem experimentar cada momento... Pois, se soubéssemos do futuro, deixaríamos de fazer muitas coisas... Talvez eu não engravidasse e eu não conheceria essa pessoa linda que é o meu filho...

A vida é feita de oportunidades, o tal cavalinho branco não passa duas vezes, lembra? Eu sempre digo isso... A grama está verde, o caminho está aberto e a água está fresca, vai dar tempo de decidir sobre ficar ou partir.

E, enquanto tudo ainda são hipóteses, quero viver esse momento delicioso entre o antes e o depois: “a expectativa”, “a espera”; mesmo que depois eu salte, o  que sentimos quando temos esperança é o que nos move e nos faz sentir vivos.

Carpe diem!

Nenhum comentário: