“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



domingo, 11 de dezembro de 2016

Carpe diem


Aprendi que a vida é muito mais do que se pode ver, do que se pode ter,
A vida é fôlego de gratidão, é esperança de um novo amor, é compaixão...
A vida é sorriso que se abre como a flor, que se mostra com delicadeza,
É abraço que nos envolve sem cobrança, como os que nos oferecem as crianças...

Aprendi que a vida é branda, é intensa, quando a permitimos ser,
A vida é a nossa essência, é coração aberto, e estar sempre perto,
A vida pode ser um dia cinzento ou uma janela aberta para o mar,
Tudo vai depender se decidir abrir a cortina e entregar-se a esse dia...

Aprendi que quero viver essa vida e tudo de bom que ela oferecer,
Mas nada que seja palpável, somente tudo que seja agradável,
Pois o valor não está nas coisas materiais, está na leveza do ser.

Maria Cristina Gama
.
.
.

Nenhum comentário: