“Meus versos nascem como quem dá luz a um único filho, em gestações que podem durar uma vida ou segundos...” (Chris Amag)



quinta-feira, 13 de julho de 2017

A Voz diz tudo...


Um “bom dia” pode ser dito duramente, por obrigação ou pode ser com muita animação, em ambos os casos a expressão do rosto fala mais que a frase dita... E os olhos revelam todo o sentimento contido.
A voz nos deixa seguros, ela acalma ou nos fortalece, ela afasta ou nos torna íntimos... É como se nosso cérebro estivesse programado para detectar verdades escondidas, programado com arquivo de segurança, bloqueando ameaças.
Mas a voz só existe porque existe alguém que a solta e a segura, por essa razão é um substantivo abstrato, precisa de alguém para existir, ela não existe sozinha...
Mas, deixando os conceitos de lado, existe a licença poética, aqui personifico a voz, dou vida a ela para que ela se encontre com a sua, pois creio que elas estão se gostando... Rs
Mas para dar voz à voz, vamos levá-las para um passeio no parque, eu levo a minha e você a sua, e então, podemos deixá-las dar uma volta, caminharem juntas para que fiquemos em silêncio, pois, com certeza, ficaremos sem palavras...


Cris

Nenhum comentário: